sexta-feira, 29 de novembro de 2013

NAS MARGENS DA POESIA ( GLOSA )




MOTE

A poesia relaxa-me a mente
A escrita solta-me a alma
A mensagem sai inocente
A palavra reflecte a calma

GLOSA

Uma situação me dá prazer
E me alegra extremamente
No gozo que me dá escrever
"A poesia relaxa-me a mente"

Para mim será irrelevante
Mesmo não havendo vivalma
Toda a palavra é importante
"A escrita solta-me a alma"

Na fantasia de um recado
Todo o texto jorra fluente
O sinal será identificado
"A mensagem sai inocente"

Sem precisar de saudação
Orgulha-se por cada palma
Resguarda-se na emoção
"A palavra reflecte a calma"


JORGE BRITES
Partilhando o meu Sorriso

Sem comentários: