sábado, 11 de setembro de 2010

LOUCURA PERDOÁVEL ( 41 )


Quando estás ausente...
Fico melancólico !
Quando estás presente...
Pareço um tolo !
Passo o tempo acordado
A pensar em ti,
E até sonho contigo
Depois de acordado !
Recordarei para sempre
Aquele Outono,
Quando senti o teu olhar !
Nesse dia, tudo mudou :
O teu Sol brilhou,
E o meu universo ficou de mil cores !
Tinha-te descoberto, meu Bem !
Se isto não é amor,
É loucura,
E é, nesse caso...
Perdável...!




JORGE BRITES
Partilhando o meu Sorriso

1 comentário:

Cidinha disse...

Meu querido!
"O AMOR É UM LOUCO VARRIDO"
Sim... Ás vezes o amor é navalha que corta, ar que sufoca... É nó na garganta!
O amor, meu querido, é almoço e janta!
Estufa-nos de vontades, de gulas...
O amor é bula sem explicação!
Contradizendo a tudo que ditam as regras, ele é menos mocinho e mais vilão!
Mas é por todos desejado, ainda que não confessado!
O amor, é um louco varrido
ao coração algemado!

Mas como é bom se entregar a este louco varrido "Amor"!

Beijos saborosos...
Cidinha