quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

HOMEM DO MUNDO ( GLOSA )




MOTE

Sou um homem deste mundo
Onde reina a desigualdade
Não há nada mais profundo
Que sentir tanta falsidade

GLOSA

Esta estrada vou trilhando
Por vezes parecendo vagabundo
Quanto a isso, não me ralando
"Sou um homem deste mundo"

Estou ciente e desgostoso
Por ver tanta crueldade
Vivo num mundo monstruoso
"Onde reina a desigualdade"

Desastrosa é a imagem
Que sentimento moribundo
Acontecimento mais selvagem
"Não há nada mais profundo"

Sinto-me de todo impotente
Ao ver tanta mediocridade
Haverá algo tão diferente
"Que sentir tanta falsidade"


JORGE BRITES
Partilhando o meu Sorriso

Sem comentários: