segunda-feira, 16 de abril de 2012

QUADRAS - IMAGEM DO NOSSO PAÍS ( ANTÓNIO ALEIXO )

O poeta António Aleixo ( 1899-1949 ), para mim
o expoente máximo na poesia popular portuguesa,
dado o o conteúdo social e humanista nas suas quadras,
transcrevia já no seu tempo, a sua preocupação bem
vincada nestas quadras, que aleatóriamente escolhi para
ilustrar o momento do meu País.

Os que bons conselhos dão
ás vezes fazem-me rir,
- Por que eles próprios são
Incapazes de os seguir.

Sem que discurso eu pedisse,
ele falou, e eu contei.
Gostei do que ele não disse;
do que disse não gostei.

Deixam-me sempre confuso
as tuas palavras boas,
por não te ver fazer uso
dessa moral que apregoas.

Mentiu com habilidade,
fez quantas mentiras quis.
Agora, fala verdade,
ninguém crê no que ele diz.

É fácil a qualquer cão
tirar cordeiros da relva,
tirar a presa ao leão
é difícil nesta selva.

Vemos gente bem vestida,
no aspecto desassombrada ;
são tudo ilusões da vida,
tudo é miséria dourada.

Os novos que se envaidecem
pelo muito que querem ser,
são frutos bons que apodrecem
mal começam a nascer.

Sei que pareço um ladrão...
mas há muitos que eu conheço
que, sem parecer o que são,
são aquilo que eu pareço.


Autor - ANTÓNIO ALEIXO

JORGE BRITES
Partilhando o meu Sorriso

Sem comentários: