quinta-feira, 27 de novembro de 2014

QUADRAS DE MIM



As quadras que sempre faço
Sem querer, têm um fim
Para todos, é o primeiro passo
Do que vierem a julgar de mim

Nas palavras vou extravazando
Minha maneira de ser e estar
Através disso nada me importando
Com os adjectivos que me possam dar

Para todos sou um livro aberto
Que estará sempre a descoberto
Derramando meus momentos

Sou assim, que então fazer ?
Senão continuar a escrever
Mostrando tantos sentimentos


JORGE BRITES
Partilhando o meu Sorriso

Sem comentários: