segunda-feira, 16 de julho de 2012

NAS MARGENS DA POESIA




Nas margens da poesia
Vou á deriva navegando
Escrevo com harmonia
Com palavras que vou pescando


A poesia relaxa-me a mente
A escrita solta-me a alma
A mensagem sai inocente
A palavra reflecte a calma


Se aquilo que eu escrever
E que me dá muito prazer
Se pode chamar poesia


Então atrever-me-ei a dizer
Que me orgulho do que estou a fazer
E me encanto todo o dia



JORGE BRITES
Partilhando o meu Sorriso

Sem comentários: